Pular para o conteúdo principal

EM DEPOIMENTO, TORRES DIZ QUE IDA À BAHIA NÃO TEVE RELAÇÃO COM AÇÃO DA PRF NAS ELEIÇÕES DE 2022

 


O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Anderson Torres afirmou em depoimento à Polícia Federal (PF) nesta segunda-feira (8) que a ida à Bahia poucos dias antes do segundo turno das eleições de 2022, como revelado com exclusividade pela CNN, não teve relação com a ação da Polícia Rodoviária Federal (PRF), segundo fontes.

Torres depôs por cerca de duas horas, tendo sido ouvido sobre as blitze feitas pela PRF no dia do segundo turno das eleições de 2022 em locais que Luiz Inácio Lula da Silva (PT) teria mais eleitores.

Conforme revela Larissa Rodrigues, da CNN, o ex-ministro negou qualquer tipo de interferência na corporação, explicando que a viagem à Bahia teria ocorrido para participar da inauguração de uma obra na sede da PF do estado.

O comparecimento teria sido um convite do então comandante regional. Fontes também disseram à reportagem que Torres teria levado e mostrado fotos ao depoimento.

Ele não entrou em detalhes sobre uma possível reunião com a PRF à época. Em nota, a defesa do ex-ministro pontuou que ele mantém a “postura de cooperar com as investigações, uma vez que é o principal interessado no esclarecimento dos fatos”.

Entenda o depoimento

São apuradas supostas blitze em estados e cidades onde Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tinha mais vantagem pelas pesquisas eleitorais e votos do primeiro turno. Na época, Torres era ministro da Justiça de Jair Bolsonaro (PL). No cargo, a PRF e a PF estavam subordinadas a ele.

Torres prestou o depoimento na condição de declarante, ou seja, ele ainda não é investigado formalmente no caso. Foi assegurado e ele o “direito ao silêncio e a garantia de não autoincriminação, se instado a responder a perguntas cujas respostas possam resultar em seu prejuízo”, segundo Moraes.

O ex-ministro está preso desde 14 de janeiro por suposta omissão nos atos de 8 de janeiro. A prisão foi determinada pelo ministro Alexandre de Moraes. O magistrado é relator na Corte das investigações sobre os ataques.

Documentos comprovam viagem à Bahia em voo da FAB e diagnóstico sobre eleições

Conforme revelado por exclusividade por Elijonas Maia, da CNN, documentos comprovam que o então ministro da Justiça Anderson Torres viajou à Bahia em uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) seis dias antes do segundo turno das eleições presidenciais, para tratar das operações da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

É indicado nos arquivos que o voo saiu do aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, no dia 24 de outubro, às 17h30, chegando a Salvador duas horas depois.

A relação nominal mostra que Torres foi acompanhado do secretário-executivo do Ministério da Justiça, Antônio Lorenzo, do diretor-geral da Polícia Federal, Márcio Nunes, de um assessor especial do gabinete e dois agentes da PF.

O então ministro estava no Rio de Janeiro por conta do episódio em que Roberto Jefferson foi preso e atirou contra policiais federais.

Outro documento obtido pela CNN revela uma reunião no dia 25 de outubro (terça-feira da semana pré-eleição) com o superintendente da PF na Bahia, o delegado Leandro Almada.

A agenda foi solicitada na tarde do dia anterior, conforme despacho de uma assessora. Participaram da reunião, de 11h às 12h, além de Torres e Almada, o secretário-executivo do Ministério da Justiça, o diretor-geral da Polícia Federal, e os delegados da PF na Bahia Marcelo Werner e Flávio Marcio Albergaria Silva.

Conforme apurou a CNN, nessa reunião, Torres teria pedido apoio da PF nos bloqueios que a Polícia Rodoviária Federal faria no segundo turno das eleições presidenciais.

A conversa foi confirmada à CNN por fontes ligadas à PF e à PRF. A PF na Bahia, no entanto, não participou da ação.

A viagem do então ministro da Justiça de Jair Bolsonaro (PL) ocorreu depois de ele ter obtido um documento, elaborado pela Diretoria de Inteligência do MJ, mostrando em quais municípios Luiz Inácio Lula da Silva (PT) teve mais votos no primeiro turno.

Fonte: CNN

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SEXO, DROGAS E MUITO AMOR. VÍDEO DE SOGRA DE PREFEITO DE CAMPINA GRANDE PROVOCA "FRISSON" NA PARAÍBA

Um vídeo onde a sogra do prefeito de Campina Grande, Soraya Brito, aparece em um motel cheirando cocaína explodiu como uma bomba na Paraíba essa manhã. Soraya Brito é a mãe de Juliana Cunha Lima, casada com o prefeito Bruno Cunha Lima (Solidariedade). Bruno Cunha Lima é sobrinho do ex-governador Cássio Cunha Lima, que foi um dos líderes nacionais do PSDB. O ex-senador vai lançar seu filho, o deputado Pedro Cunha Lima (PSDB), como candidato ao governo do Estado. A gravação está sendo muito comentada nas redes sociais, e a hashtag #fofocadecampina é uma das mais citadas na região. Ninguém sabe a autoria do vídeo.

JUSTIÇA ELEITORAL FISCALIZA CLINICA EM CAICÓ POR SUSPEITA DE COMPRA DE VOTOS; 11 PESSOAS FORAM CONDUZIDAS A DELEGACIA

A Justiça eleitoral realizou nesta segunda-feira(02) uma operação de fiscalização contra supostos crimes eleitorais em uma clinica médica e odontológica localizada na rua Tonheca Dantas nas proximidades da Central do Cidadão no bairro Penedo em Caicó.  Os funcionários da justiça eleitoral receberam denuncias de que a clinica estaria funcionando no domingo a noite e poderia está acontecendo favorecimento politico, mais como não conseguiram fazer a fiscalização naquele momento realizaram na manhã de segunda-feira, feriado de finados.  Ao chegar no local foi constatado a clinica em funcionamento com movimentação de pacientes e ao entrar pediram explicações e foram informados que aproveitaram o feriado para fazer moldagem para posteriormente ser realizado o orçamento do trabalho.  Os servidores da justiça solicitaram apoio da Policia Militar e conduziram até a delegacia para averiguação e prestar depoimentos três pessoas que trabalham na clinica e 8 pacientes que estavam presentes no local

PESQUISA POTIGUAR NEWS: CONFIRA OS NÚMEROS DA CORRIDA PARA À PREFEITURA DE CAICÓ

    O prefeito, Dr. Tadeu, lidera as intenções de voto para a Prefeitura de Caicó.  É o que mostra a pesquisa Potiguar News, para medir o cenário de pré-campanha no município com vista ao pleito do próximo ano.   No primeiro cenário da pesquisa estimulada – quando são apresentados nomes de possíveis candidatos –, Dr. Tadeu aparece com 34% das intenções de voto.  Ele é seguido por Diego Vale, que tem 21,3%.  Depois dele, aparece o ex-prefeito Batata, com 11%. Nesse cenário, 23,4% disseram não saber em quem ou não responderam à pesquisa e 10,3% afirmaram que pretendiam votar em branco, nulo ou em nenhum dos possíveis candidatos apresentados. Em outro cenário pesquisado, a pesquisa mediu a preferência do eleitorado de Caicó com possíveis postulantes.  Em uma possível disputa entre o atual prefeito Dr. Tadeu, Padre Gleiber Dantas e o deputado estadual Adjuto Dias. Neste cenário, o prefeito Dr. Tadeu aparece com 27%,  empatado, com Padre Gleiber Dantas, com 26,3%  e seguido de perto pelo de