Pular para o conteúdo principal

FÓRUM ECONÔMICO MUNDIAL EM DAVOS, AQUECE O MERCADO DE SERVIÇOS SEXUAIS

Foto: Reprodução/Instagram

A elite global que se reúne para o Fórum Econômico Mundial em Davos a fim de discutir os maiores problemas do planeta — de aquecimento global à desigualdade de gênero — também aquece na fria cidade da Suíça um setor da economia informal: a prostituição.

A demanda por trabalho sexual dispara a cada ano na reunião de líderes mundiais e magnatas dos negócios que vêm de todo o mundo para discutir temas variados.

Acompanhantes se hospedam nos mesmos hotéis que chefes poderosos e seus funcionários durante a cúpula de cinco dias, que começou na segunda-feira (16/1).

Uma trabalhadora do sexo chamada Liana disse que se veste com trajes de negócios para não se destacar entre os executivos, apesar da prostituição ser legal na Suíça, contou ela ao jornal alemão “Bild”.

Liana acrescentou que vê regularmente um americano que visita a Suíça várias vezes ao ano e está entre os 2.700 participantes da conferência.

Liana cobra cerca de €700 (R$ 3.850) por uma hora de serviço e € 2.300 (R$ 12,6 mil) pela noite inteira, mais despesas de viagem.

A gerente de um serviço de acompanhantes em Aargau (Suíça), a 160 quilômetros do local da reunião de cúpula, diz que já recebeu 11 reservas e 25 consultas por programas sexuais e espera que muitas outras cheguem esta semana.

“Alguns também reservam acompanhantes para eles e seus funcionários para festejar na suíte do hotel”, contou ela ao jornal “20 Minuten”.

Salome Balthus, garota de programa e escritora, postou no Twitter:

“Encontro na Suíça durante o Fórum significa olhar para os canos das armas dos seguranças no corredor do hotel às 2 da manhã. E depois dividir com eles os chocolates do restaurante e fofocar sobre os ricos.”

O mulher de 36 anos está hospedada em um hotel perto de Davos durante a cúpula, mas se recusou a revelar quem são os clientes influentes.

“Acredite em mim, você não quer entrar em litígio com eles”, advertiu ela.

Em 2020, uma investigação do jornal “The Times” encontrou pelo menos 100 prostitutas viajando para Davos para a cúpula, de acordo com um policial suíço. Um motorista oficial do fórum disse que pegou em um hotel uma prostituta que alegou ter sido forçada pelo seu chefe a dormir com um cliente mais velho que estava participando da cúpula.

Extra 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SEXO, DROGAS E MUITO AMOR. VÍDEO DE SOGRA DE PREFEITO DE CAMPINA GRANDE PROVOCA "FRISSON" NA PARAÍBA

Um vídeo onde a sogra do prefeito de Campina Grande, Soraya Brito, aparece em um motel cheirando cocaína explodiu como uma bomba na Paraíba essa manhã. Soraya Brito é a mãe de Juliana Cunha Lima, casada com o prefeito Bruno Cunha Lima (Solidariedade). Bruno Cunha Lima é sobrinho do ex-governador Cássio Cunha Lima, que foi um dos líderes nacionais do PSDB. O ex-senador vai lançar seu filho, o deputado Pedro Cunha Lima (PSDB), como candidato ao governo do Estado. A gravação está sendo muito comentada nas redes sociais, e a hashtag #fofocadecampina é uma das mais citadas na região. Ninguém sabe a autoria do vídeo.

JUSTIÇA ELEITORAL FISCALIZA CLINICA EM CAICÓ POR SUSPEITA DE COMPRA DE VOTOS; 11 PESSOAS FORAM CONDUZIDAS A DELEGACIA

A Justiça eleitoral realizou nesta segunda-feira(02) uma operação de fiscalização contra supostos crimes eleitorais em uma clinica médica e odontológica localizada na rua Tonheca Dantas nas proximidades da Central do Cidadão no bairro Penedo em Caicó.  Os funcionários da justiça eleitoral receberam denuncias de que a clinica estaria funcionando no domingo a noite e poderia está acontecendo favorecimento politico, mais como não conseguiram fazer a fiscalização naquele momento realizaram na manhã de segunda-feira, feriado de finados.  Ao chegar no local foi constatado a clinica em funcionamento com movimentação de pacientes e ao entrar pediram explicações e foram informados que aproveitaram o feriado para fazer moldagem para posteriormente ser realizado o orçamento do trabalho.  Os servidores da justiça solicitaram apoio da Policia Militar e conduziram até a delegacia para averiguação e prestar depoimentos três pessoas que trabalham na clinica e 8 pacientes que estavam presentes no local

CERVEJA EM FALTA...

Às vésperas das festas de fim de ano, o nível de ruptura da cerveja – índice que monitora a falta de produtos em supermercados brasileiros –, segue em alta. Em novembro, atingiu 19,45%, frente aos 10% registrados no mesmo mês de 2019.  O índice começou a subir em março, no início da quarentena. Nos últimos meses foram registrados 17,64% de ruptura, em setembro, e 18,92% em outubro.  O monitoramento acompanha os dados de 40 mil varejistas no Brasil e é feito pela Neogrid, especializada na sincronização da cadeia de suprimentos.  A falta de cervejas nas prateleiras se deve, principalmente, às dificuldades que as empresas enfrentam para comprar embalagens, como vidro para as garrafas e latas. Apesar do alto índice de ruptura, não há, por ora, risco de desabastecimento do produto.