Pular para o conteúdo principal

LULA PEDE AO TSE O BLOQUEIO E QUEBRA DE SIGILO DE BOLSONARO E APOIADORES

 

)O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) apresentou hoje ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) um pedido de investigação sobre suposto "ecossistema de desinformação" promovido pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) e apoiadores, inclusive seus três filhos políticos: o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ), o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP) e o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ).

Na ação, os advogados Angelo Ferraro, Eugênio Aragão e Cristiano Zanin, que representam Lula no TSE, apontam o uso indevido dos meios de comunicação e abuso de poder político e econômico com o objetivo de influenciar o processo eleitoral. Na peça, a defesa do presidenciável pede que o presidente e seu candidato a vice, Walter Braga Netto (PL), sejam investigados e que 45 bolsonaristas —entre eles as deputadas Carla Zambelli (PL-SP) e Bia Kicis (PL-DF), o deputado eleito Nikolas Ferreira (PL-MG) e o ex-ministro e deputado eleito Ricardo Salles (PL-SP)— tenham contas bloqueadas em redes sociais.

O petista solicita também a identificação e responsabilização de outros 34 usuários de redes sociais que também fazem parte da suposta rede de desinformação na internet.

A representação ocorre no mesmo momento em que Bolsonaro e seus aliados montam ofensiva contra adversários que usarem como arma eleitoral em favor do ex-presidente o vídeo em que Bolsonaro aparece usando a expressão "pintou um clima" ao se referir a adolescentes venezuelanas.

Integrantes da equipe jurídica do candidato à reeleição dizem ver margem para conseguir, no TSE, derrubar publicações em redes sociais que o associam ao crime de pedofilia. Em outra frente, congressistas apoiadores do mandatário deverão reforçar a estratégia de resgatar frases controversas do petista sobre aborto e outros temas da chamada pauta de costumes, cara ao eleitorado de Bolsonaro.

Hoje, o presidente do TSE, Alexandre de Moraes, mandou Lula apagar de suas redes sociais e se abster de explorar o material em propaganda eleitoral gratuita. "O contexto evidencia a divulgação de fato inverídico e descontextualizado. Não pode ser tolerada pelo TSE, notadamente por se tratar de notícia falsa divulgada no segundo turno da eleição presidencial. A divulgação tem aparente finalidade de vincular a figura de Bolsonaro ao cometimento de crime sexual", disse o magistrado.

Na ação, com cerca de 150 páginas, a defesa de Lula apresenta gráficos, mapas e tabelas sobre a suposta influência da rede bolsonarista e seu presumido potencial de alcance.

"Assim, com o objetivo de assegurar o equilíbrio entre os adversários que se enfrentam no 2º turno da disputa ao cargo de presidente da República, em face da ostensiva divulgação de desinformações que visam à usurpação do debate público e manipulação da opinião popular para degradar a candidatura de Lula e beneficiar ilegitimamente Jair Messias Bolsonaro, torna-se imprescindível que seja determinado imediato bloqueio dos perfis/páginas/canais/contas destacados na presente AIJE, de maneira temporária, até o encerramento das eleições gerais de 2022", pedem os advogados na ação.

Entre os alvos de pedidos de quebra de sigilos estão:

 Filipe Schossler Valerim, Henrique Leopoldo Damasceno Viana e Lucas Ferrugem de Souza, donos do Brasil Paralelo; os blogueiros Kim Paim e Gustavo Gayer; Ernani Fernandes Barbosa Neto e Thais Raposo do Amaral Pinto Chaves, donos do canal Folha Política.

Segundo os advogados, o objetivo é aferir eventuais valores despendidos para custear direta e indiretamente conteúdos produzidos massivamente para apoiar a candidatura de Jair Bolsonaro, tais como: impulsionamentos em plataformas digitais, produção e publicação de conteúdo nas redes sociais, produção e disponibilização de materiais gráficos e audiovisuais; além de apurar se houve aplicação de recursos financeiros na campanha de Bolsonaro, ainda que indiretamente, por meio da produção de materiais e conteúdos publicados em plataformas virtuais.

Quem são os alvos da ação do PT no TSE?

Jair Bolsonaro

Walter Souza Braga Netto

Carlos Nantes Bolsonaro

Eduardo Nantes Bolsonaro

Flavio Nantes Bolsonaro

Nikolas Ferreira De Oliveira

Kim George Borja Paim

Carla Zambelli Salgado

Gustavo Gayer Machado De Araujo

Leandro Panazzolo Ruschel

Silvio Navarro Perejon Junior

Henrique Leopoldo Damasceno Viana

Lucas Ferrugem De Souza

Filipe Schossler Valerim

Barbara Zambaldi Destefani

Luiz Philippe De Orleans E Bragança

Paulo Eduardo Lima Martins

Bernardo Pires Kuster

Elisa Brom De Freitas

Beatriz Kicis Torrents De Sordi

Ernani Fernandes Barbosa Neto

Thais Raposo Do Amaral Pinto Chaves

Anderson Azevedo Rossi

Otavio Oscar Fakhoury

Ricardo De Aquino Salles

Andre Porciuncula Alay Esteves

Alexandre Ramagem Rodrigues

Paula Marisa Carvalho De Oliveira

Sarita Goncalves Coelho

Diego Henrique De Sousa Guedes

Marcelo De Carvalho Fragali

Jose Pinheiro Tolentino Filho

Roberto Bezerra Motta

Mario Luis Frias

Roger Rocha Moreira

Micarla Rocha Da Silva Melo

Silvio Grimaldo De Camargo

Flavia Ferronato

Jairo Mendes Leal

Caroline Rodrigues De Toni

Augusto Pires Pacheco

Paulo Vitor Souza

Bismark Fabio Fugazza

Rodrigo Constantino Alexandre Dos Santos

Max Guilherme Machado De Moura

Bruno De Castro Engler Florencio De Almeida

Filipe Tomazelli Sabara


*As informações são do UOL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SEXO, DROGAS E MUITO AMOR. VÍDEO DE SOGRA DE PREFEITO DE CAMPINA GRANDE PROVOCA "FRISSON" NA PARAÍBA

Um vídeo onde a sogra do prefeito de Campina Grande, Soraya Brito, aparece em um motel cheirando cocaína explodiu como uma bomba na Paraíba essa manhã. Soraya Brito é a mãe de Juliana Cunha Lima, casada com o prefeito Bruno Cunha Lima (Solidariedade). Bruno Cunha Lima é sobrinho do ex-governador Cássio Cunha Lima, que foi um dos líderes nacionais do PSDB. O ex-senador vai lançar seu filho, o deputado Pedro Cunha Lima (PSDB), como candidato ao governo do Estado. A gravação está sendo muito comentada nas redes sociais, e a hashtag #fofocadecampina é uma das mais citadas na região. Ninguém sabe a autoria do vídeo.

JUSTIÇA ELEITORAL FISCALIZA CLINICA EM CAICÓ POR SUSPEITA DE COMPRA DE VOTOS; 11 PESSOAS FORAM CONDUZIDAS A DELEGACIA

A Justiça eleitoral realizou nesta segunda-feira(02) uma operação de fiscalização contra supostos crimes eleitorais em uma clinica médica e odontológica localizada na rua Tonheca Dantas nas proximidades da Central do Cidadão no bairro Penedo em Caicó.  Os funcionários da justiça eleitoral receberam denuncias de que a clinica estaria funcionando no domingo a noite e poderia está acontecendo favorecimento politico, mais como não conseguiram fazer a fiscalização naquele momento realizaram na manhã de segunda-feira, feriado de finados.  Ao chegar no local foi constatado a clinica em funcionamento com movimentação de pacientes e ao entrar pediram explicações e foram informados que aproveitaram o feriado para fazer moldagem para posteriormente ser realizado o orçamento do trabalho.  Os servidores da justiça solicitaram apoio da Policia Militar e conduziram até a delegacia para averiguação e prestar depoimentos três pessoas que trabalham na clinica e 8 pacientes que estavam presentes no local

CERVEJA EM FALTA...

Às vésperas das festas de fim de ano, o nível de ruptura da cerveja – índice que monitora a falta de produtos em supermercados brasileiros –, segue em alta. Em novembro, atingiu 19,45%, frente aos 10% registrados no mesmo mês de 2019.  O índice começou a subir em março, no início da quarentena. Nos últimos meses foram registrados 17,64% de ruptura, em setembro, e 18,92% em outubro.  O monitoramento acompanha os dados de 40 mil varejistas no Brasil e é feito pela Neogrid, especializada na sincronização da cadeia de suprimentos.  A falta de cervejas nas prateleiras se deve, principalmente, às dificuldades que as empresas enfrentam para comprar embalagens, como vidro para as garrafas e latas. Apesar do alto índice de ruptura, não há, por ora, risco de desabastecimento do produto.