Pular para o conteúdo principal

POLÍCIA FEDERAL ABRE INQUÉRITO PARA INVESTIGAR SE SABOTAGEM CAUSOU APAGÃO

 Todas as capitais do Nordeste tiveram suprimento de energia normalizado, diz MMEApagão foi registrado em diversas cidades. Foto: José Aldenir/Agora RN

A Polícia Federal instaurou nesta terça-feira 22 um inquérito para investigar as causas do apagão que atingiu todas as regiões do país na semana passada. A investigação, sigilosa, vai apurar possíveis crimes de sabotagem e atentado contra a segurança de serviço de utilidade pública.

A PF deverá ouvir diferentes atores ligados ao incidente, como representantes da Eletrobras e do ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico).

O apagão interrompeu o fornecimento de 18,9 mil MW de carga –o necessário para afetar cidades de 25 estados e o Distrito Federal. A exceção foi Roraima, que não está no SIN (Sistema de Integração Nacional).

Com a falta de energia, aulas foram suspensas por todo o país, semáforos ficaram desligados e hospitais e outras instituições de saúde suspenderam consultas, exames e outros procedimentos.

Na última quinta-feira (17), o ONS informou que o relatório final sobre o apagão só ficaria pronto em 45 dias. O operador diz que o sistema está sendo operado “em condições mais conservadoras” após o apagão, para garantir a segurança do atendimento, seguindo protocolo previsto após ocorrências deste tipo, até que sejam verificadas as causas.

O que se sabe até agora é que o chamado evento zero, que deu início ao apagão, ocorreu numa linha de transmissão entre o município de Quixadá e a capital Fortaleza.

A frequência da linha caiu e o sistema de proteção falhou, disseminando a falha. Um incidente do gênero, em um ponto como este, porém, não deveria deflagrar um apagão com escala nacional, segundo especialistas.

Explicações incompletas e a demora na divulgação do relatório abriram espaço para uma guerra de narrativas entre consultores, políticos e segmentos do setor energético.

Uma ala de especialistas afirma que ainda será descoberto que houve falha em alguma subestação, como Imperatriz (MA) ou Xingu (PA).

Outro segmento, mais ligado a hidro, já cogitam que o próprio ONS pode ser parte do problema por privilegiar o fornecimento de energias renováveis.

Candidato a presidir a Petrobras no governo Jair Bolsonaro (PL), o consultor Adriano Pires escreveu em uma rede social que a lição do apagão é que “não devemos abrir mão de térmicas”: “Nesse momento de transição energética é uma estupidez ficar refém da natureza com a geração eólica e solar”, escreveu.

O governo federal passou a usar o apagão como munição contra a privatização da Eletrobras. No mesmo dia da falta de luz que atingiu a maior parte do país, a primeira-dama Rosângela da Silva, a Janja, foi às redes sociais para ligar a desestatização da empresa à queda de energia. “A Eletrobras foi privatizada em 2022. Era só esse o tuíte”, escreveu a primeira-dama, em letras com caixa alta.

Assim como Janja, o líder do governo no Congresso, senador Randolfe Rodrigues (sem partido-AP), também culpou a venda do controle da empresa.

“A conta da privatização irresponsável da Eletrobras chegou: apagão em 25 estados e no DF. Em 2020, vivemos as consequências criminosas da privatização no setor elétrico no Amapá -foram 22 dias de apagão, que afetou comércio, serviços, hospitais e escolas, gerando prejuízos incalculáveis a toda a população”, escreveu o senador.

O discurso também foi seguido pelo ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira.

O apagão da semana passada durou cerca de seis horas, período superior a eventos semelhantes ocorridos em governos passados, como o da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ADOLESCENTE É BALEADA COM TIRO NA CABEÇA NO MUNICÍPIO DE JUCURUTU (RN) E SEU ESTADO É GRAVISSÍMO

Uma adolescente de 17 anos foi baleada com um tiro na cabeça, no final da tarde desta quinta-feira (02), em Jucurutu. A adolescente, foi socorrida e encaminhada ao Hospital Maternidade Terezinha Lula de Queiroz, no municpio de Jucurutu. Seu estado de saúde é gravissímo. A Polícia Militar prendeu o suspeito pelo crime. Segundo informações da Polícia o homem tentou matar uma outra pessoa, conhecida por "Jó do Ouro" mas os tiros acertaram a adolescente. Adolescente estava no local acompanhada da mãe, quando o homem conhecido como  por "Flavino da Internet", chegou ao local e atirou em direção de "Jó" e acertou na cabeça da jovem.

CAICÓ: MOTOTAXISTAS SE ARTICULAM PARA REALIZAÇÃO DE PROTESTO

Segundo informações chegadas ao blog, um grupo de moto taxistas de Caicó, está se articulando para realizarem um protesto contra as novas normas para multas que vão ser aplicadas em Caicó. Segundo o que colhemos de informações, o protesto não será contra o excesso de velocidade. “Somos de acordo estabelecer um limite de velocidade. Agora o que foi dito sobre o que as câmeras de monitoramento vão filmar, que nem sacola podemos carregar?  Isso vai nos prejudicar, a maioria dos mototáxi são pais de família, que vão ser prejudicados”.  Disse um dos articuladores do movimento. Perguntamos sobre o dia e horário deste protesto, mas, fomos informados que eles ainda estão se organizando.   De Roberto Flávio

SEXO, DROGAS E MUITO AMOR. VÍDEO DE SOGRA DE PREFEITO DE CAMPINA GRANDE PROVOCA "FRISSON" NA PARAÍBA

Um vídeo onde a sogra do prefeito de Campina Grande, Soraya Brito, aparece em um motel cheirando cocaína explodiu como uma bomba na Paraíba essa manhã. Soraya Brito é a mãe de Juliana Cunha Lima, casada com o prefeito Bruno Cunha Lima (Solidariedade). Bruno Cunha Lima é sobrinho do ex-governador Cássio Cunha Lima, que foi um dos líderes nacionais do PSDB. O ex-senador vai lançar seu filho, o deputado Pedro Cunha Lima (PSDB), como candidato ao governo do Estado. A gravação está sendo muito comentada nas redes sociais, e a hashtag #fofocadecampina é uma das mais citadas na região. Ninguém sabe a autoria do vídeo.