Pular para o conteúdo principal

GETÚLIO RÊGO E VIVALDO COSTA TRAÇAM PLANOS PARA O FUTURO LONGE DA POLÍTICA


A votação nas Eleições de 2022 foi responsável pela renovação de um terço dos deputados estaduais do Rio Grande do Norte.

Oito parlamentares da atual legislatura que não permanecerão na Casa, e desses, cinco concorreram ao cargo e foram derrotados nas urnas, sendo alguns nomes históricos da política potiguar, como Getúlio Rêgo (PSDB) e Vivaldo Costa (PV), que conversaram com o NOVO sobre o futuro sem participação na formação parlamentar depois de tantos anos de convívio nos corredores do Palácio José Augusto.

Getúlio Rêgo

O decano da Casa, que há mais tempo exerce as atividades parlamentares, Getúlio Rêgo, nascido em Portalegre, é médico de formação, e já traçou o planejamento para os primeiros dias longe da ALRN. Prestes a completar 79 anos de idade, ele conta que vai se dedicar ao seu ofício, exercendo a medicina em municípios da região do Alto Oeste, de onde ele veio.

“O meu pensamento é, a partir de 1º de fevereiro, começar a trabalhar como médico em alguns municípios do interior. Eu vou me deslocar agora, a partir do dia 6, para combinar em fazer atendimento em alguns municípios da nossa área, principalmente como cirurgião”, diz Getúlio, que garante também que vai aproveitar para se dedicar também à família: “vamos alternar trabalho no interior com participação familiar na capital do Estado”.

Getúlio é o mais longevo deputado da atual bancada potiguar. Atualmente, ele está concluindo o seu décimo mandato representando o povo potiguar. Esses números renderam homenagens dos colegas parlamentares que lembraram, em sessão solene no último dia 14 de dezembro, dos 40 anos ininterruptos que o portalegrense passou na Casa Legislativa do RN.

Dado todo o histórico de décadas, deixar a vida política pode não ser tarefa fácil, e Getúlio não pretende passar por isso, mesmo quando ficar sem mandato pela primeira vez desde 1982, quando se elegeu a primeira vez. Apesar de garantir que não deixará de fazer política, o parlamentar tomou uma decisão: seu nome não voltará às urnas.

“Não tenho mais pretensão de ser candidato. Mas lógico que não vou abandonar a política porque é uma coisa que a gente recebeu, durante dez eleições seguidas, o referendo da população, por quem eu tenho muita gratidão”, diz Getúlio que completa: “sou muito feliz pela confiança renovada do povo no nosso trabalho e não vou abandonar as pessoas. Vou continuar procurando influenciar de alguma forma para facilitar o acesso das pessoas à saúde, principalmente os mais humildes e mais necessitados”.

Com um histórico de muitos anos nas Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, o deputado Vivaldo Costa (PV) também ficou pelo no caminho na disputa do ano passado. Ele chegou às fileiras da ALRN ainda antes que Getúlio, em 1974, e entre idas e vindas, participou de oito mandatos.

Vivaldo Costa

Do alto de seus 83 anos de idade, completados no último mês de novembro, Vivaldo não se vê longe da vida política, a exemplo do colega Getúlio. Principal líder da região Seridó, ele espera ainda poder contribuir com o povo potiguar. “Minha expectativa é seguir com o nosso trabalho em defesa do povo Potiguar. A política foi apenas uma forma de levar a voz do povo do interior, do povo mais necessitado, para que essa voz seja ouvida”, diz Vivaldo que completa: “esse trabalho não pode parar e fazer a diferença na vida das pessoas é uma missão que Deus escolheu pra mim”.

O parlamentar, que encerra o seu mandato no próximo dia 31 de janeiro, aproveitou para agradecer ao povo.

“Encerro o ano de 2022 com uma sensação irretocável de dever cumprido. O retorno que recebemos da população é que nosso trabalho fez a diferença na vida delas. Gostaria de agradecer a cada um pela confiança e dizer que a gratidão que sinto não cabe dentro do meu coração”, finaliza.

Do Novo Notícias

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SEXO, DROGAS E MUITO AMOR. VÍDEO DE SOGRA DE PREFEITO DE CAMPINA GRANDE PROVOCA "FRISSON" NA PARAÍBA

Um vídeo onde a sogra do prefeito de Campina Grande, Soraya Brito, aparece em um motel cheirando cocaína explodiu como uma bomba na Paraíba essa manhã. Soraya Brito é a mãe de Juliana Cunha Lima, casada com o prefeito Bruno Cunha Lima (Solidariedade). Bruno Cunha Lima é sobrinho do ex-governador Cássio Cunha Lima, que foi um dos líderes nacionais do PSDB. O ex-senador vai lançar seu filho, o deputado Pedro Cunha Lima (PSDB), como candidato ao governo do Estado. A gravação está sendo muito comentada nas redes sociais, e a hashtag #fofocadecampina é uma das mais citadas na região. Ninguém sabe a autoria do vídeo.

JUSTIÇA ELEITORAL FISCALIZA CLINICA EM CAICÓ POR SUSPEITA DE COMPRA DE VOTOS; 11 PESSOAS FORAM CONDUZIDAS A DELEGACIA

A Justiça eleitoral realizou nesta segunda-feira(02) uma operação de fiscalização contra supostos crimes eleitorais em uma clinica médica e odontológica localizada na rua Tonheca Dantas nas proximidades da Central do Cidadão no bairro Penedo em Caicó.  Os funcionários da justiça eleitoral receberam denuncias de que a clinica estaria funcionando no domingo a noite e poderia está acontecendo favorecimento politico, mais como não conseguiram fazer a fiscalização naquele momento realizaram na manhã de segunda-feira, feriado de finados.  Ao chegar no local foi constatado a clinica em funcionamento com movimentação de pacientes e ao entrar pediram explicações e foram informados que aproveitaram o feriado para fazer moldagem para posteriormente ser realizado o orçamento do trabalho.  Os servidores da justiça solicitaram apoio da Policia Militar e conduziram até a delegacia para averiguação e prestar depoimentos três pessoas que trabalham na clinica e 8 pacientes que estavam presentes no local

CERVEJA EM FALTA...

Às vésperas das festas de fim de ano, o nível de ruptura da cerveja – índice que monitora a falta de produtos em supermercados brasileiros –, segue em alta. Em novembro, atingiu 19,45%, frente aos 10% registrados no mesmo mês de 2019.  O índice começou a subir em março, no início da quarentena. Nos últimos meses foram registrados 17,64% de ruptura, em setembro, e 18,92% em outubro.  O monitoramento acompanha os dados de 40 mil varejistas no Brasil e é feito pela Neogrid, especializada na sincronização da cadeia de suprimentos.  A falta de cervejas nas prateleiras se deve, principalmente, às dificuldades que as empresas enfrentam para comprar embalagens, como vidro para as garrafas e latas. Apesar do alto índice de ruptura, não há, por ora, risco de desabastecimento do produto.