Pular para o conteúdo principal

BEBER UM REFRIGERANTE POR DIA PODE AUMENTAR 57% O RISCO DE CALVÍCIE EM HOMENS, APONTA ESTUDO

 


Tomar apenas um refrigerante por dia pode aumentar muito o risco de homens ficarem carecas. É o que sugere um estudo feito por pesquisadores da Universidade de Tsinghua, em Pequim, e publicado na revista Nutrients. Rapazes que consomem a bebida diariamente têm um risco 57% maior de sofrer queda de cabelo de padrão masculino em comparação com aqueles que a evitam.

Os cientistas analisaram o consumo de “bebidas adoçadas com açúcar” e levantaram a hipótese de que qualquer bebida com alto teor de açúcar adicionado poderia contribuir para a condição. Com a possível exceção dos refrigerantes diet, outras bebidas açucaradas, incluindo isotônicos, café adoçado e chá, devem ser descartadas se você quiser manter o cabelo.

O açúcar em excesso causa resistência à insulina, problema que dificulta a circulação sanguínea e pode danificar os folículos pilosos, acreditam os pesquisadores.

Os dados mostram que metade dos homens normalmente perde o cabelo aos 50 anos, e 25% dos homens carecas veem os primeiros sinais de perda de cabelo antes dos 21 anos.

Os pesquisadores de Pequim procuraram ligações entre o consumo de bebidas doces e a queda de cabelo masculina em uma pesquisa autorrelatada com 1.028 homens, com idades entre 18 e 45 anos, localizados na China.

Os participantes responderam a perguntas sobre calvície anterior, seus hábitos alimentares e se apresentam algum problema de saúde mental. Eles também foram questionados com que frequência consumiam certos alimentos e bebidas, como refrigerantes e bebidas açucaradas.

Isso revelou uma “associação significativa” entre o alto consumo de bebidas açucaradas e a queda de cabelo nos homens.

Os investigadores observaram o maior consumo de bebidas açucaradas entre os homens mais jovens pesquisados ​​e acreditaram ser o resultado de uma “desconsciência dos efeitos nocivos” das bebidas açucaradas.

“Doenças crônicas e mortes são tão vagas e distantes para os jovens que eles não estão dispostos a desistir da satisfação trazida pelas bebidas adoçadas com açúcar em prol de metas de saúde de longo prazo”, escreveram os autores no estudo.

Os pesquisadores concluíram ainda que beber bebidas açucaradas uma a três vezes por semana aumentou o risco de queda de cabelo em 21%, enquanto consumir quatro a sete das bebidas doces aumentou o risco para 26%.

Além da queda de cabelo, eles descobriram uma relação entre a ingestão de bebidas açucaradas e a saúde psicológica — alimentando potencialmente um círculo vicioso de depressão e ansiedade agravado pela queda de cabelo.

Em sua análise, os pesquisadores descobriram que as pessoas que consumiam três refrigerantes por dia tinham um risco 25% maior de depressão. Eles também descobriram que os açúcares simples em tais bebidas estão associados ao aumento da ansiedade entre os participantes do estudo de 45 anos.

As descobertas dos cientistas são correlativas, o que significa que eles não podem ter certeza de que o refrigerante causa queda de cabelo — apenas que os bebedores de refrigerante estão perdendo o cabelo em taxas mais altas.

Esta ligação potencial entre dieta pobre e calvície não é a primeira de seu tipo. Alguns pesquisadores têm elogiado a alimentação saudável e várias vitaminas e minerais como “a salvação” para prevenir a queda de cabelo, mas ainda não está claro se comer de forma saudável é realmente o fim de tudo. Os pesquisadores de Pequim não pareciam pensar assim. Eles não encontraram nenhuma qualidade protetora de uma alimentação saudável, mas pediram que mais estudos fossem realizados para confirmar seus resultados.

O Globo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SEXO, DROGAS E MUITO AMOR. VÍDEO DE SOGRA DE PREFEITO DE CAMPINA GRANDE PROVOCA "FRISSON" NA PARAÍBA

Um vídeo onde a sogra do prefeito de Campina Grande, Soraya Brito, aparece em um motel cheirando cocaína explodiu como uma bomba na Paraíba essa manhã. Soraya Brito é a mãe de Juliana Cunha Lima, casada com o prefeito Bruno Cunha Lima (Solidariedade). Bruno Cunha Lima é sobrinho do ex-governador Cássio Cunha Lima, que foi um dos líderes nacionais do PSDB. O ex-senador vai lançar seu filho, o deputado Pedro Cunha Lima (PSDB), como candidato ao governo do Estado. A gravação está sendo muito comentada nas redes sociais, e a hashtag #fofocadecampina é uma das mais citadas na região. Ninguém sabe a autoria do vídeo.

JUSTIÇA ELEITORAL FISCALIZA CLINICA EM CAICÓ POR SUSPEITA DE COMPRA DE VOTOS; 11 PESSOAS FORAM CONDUZIDAS A DELEGACIA

A Justiça eleitoral realizou nesta segunda-feira(02) uma operação de fiscalização contra supostos crimes eleitorais em uma clinica médica e odontológica localizada na rua Tonheca Dantas nas proximidades da Central do Cidadão no bairro Penedo em Caicó.  Os funcionários da justiça eleitoral receberam denuncias de que a clinica estaria funcionando no domingo a noite e poderia está acontecendo favorecimento politico, mais como não conseguiram fazer a fiscalização naquele momento realizaram na manhã de segunda-feira, feriado de finados.  Ao chegar no local foi constatado a clinica em funcionamento com movimentação de pacientes e ao entrar pediram explicações e foram informados que aproveitaram o feriado para fazer moldagem para posteriormente ser realizado o orçamento do trabalho.  Os servidores da justiça solicitaram apoio da Policia Militar e conduziram até a delegacia para averiguação e prestar depoimentos três pessoas que trabalham na clinica e 8 pacientes que estavam presentes no local

CERVEJA EM FALTA...

Às vésperas das festas de fim de ano, o nível de ruptura da cerveja – índice que monitora a falta de produtos em supermercados brasileiros –, segue em alta. Em novembro, atingiu 19,45%, frente aos 10% registrados no mesmo mês de 2019.  O índice começou a subir em março, no início da quarentena. Nos últimos meses foram registrados 17,64% de ruptura, em setembro, e 18,92% em outubro.  O monitoramento acompanha os dados de 40 mil varejistas no Brasil e é feito pela Neogrid, especializada na sincronização da cadeia de suprimentos.  A falta de cervejas nas prateleiras se deve, principalmente, às dificuldades que as empresas enfrentam para comprar embalagens, como vidro para as garrafas e latas. Apesar do alto índice de ruptura, não há, por ora, risco de desabastecimento do produto.