Pular para o conteúdo principal

LULA USA PASTA À PROVA DE BALAS E LIMITA COMIDAS SOB RISCO DE ENVENAMENTO

 


Desde o final do mês passado, a segurança do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi reforçada com a chegada de seis pastas balísticas — equipamento com a aparência de uma mala de viagem, mas que, aberta e desdobrada em três partes, se transforma em um escudo antibalas. A pasta pôde ser vista no comício feito ontem por Lula na quadra da Portela, no Rio de Janeiro, nas mãos de um agente da PF, sempre postado próximo ao ex-presidente.

Jair Bolsonaro, cuja segurança física é responsabilidade do GSI, já usa o equipamento rotineiramente. As seis pastas balísticas destinadas à proteção de Lula chegaram em setembro.

Na semana passada, a equipe da Polícia Federal responsável pela segurança do candidato do PT prendeu um homem que participaria da montagem da estrutura de um palanque usado pelo ex-presidente.

Foi a quinta prisão efetuada pela PF desde a entrada dos agentes campanha, no início de agosto, quando as candidaturas dos presenciáveis foram oficializadas. Nenhuma dessas prisões esteva relacionada diretamente com a segurança do petista.

O que ocorre é que todos os colaboradores não fixos chamados a prestar serviços à campanha passam por um levantamento policial destinado a averiguar se possuem antecedentes criminais. Foi nessa varredura que a PF identificou cinco foragidos com prisão preventiva decretada por crimes diversos.

Até agora, o delegado da Polícia Federal responsável pela segurança do ex-presidente, Andrei Augusto Passos Rodrigues, pediu a abertura de três inquéritos para investigar ameaças contra Lula. O mais recente foi contra o empresário de Santa Catarina, Luiz Henrique Crestani, que postou em uma rede social um vídeo em que usa a imagem de Lula como alvo para disparos de espingarda.

Lula também não tem aceito comida cuja procedência não foi checada antes pela segurança.

O temor é que ele seja envenenado. Assim, a regra é, fora de casa, só se alimentar com o que passar pelo crivo da segurança.

Com informações do Blog de Gutemberg Cardoso

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

JUSTIÇA ELEITORAL FISCALIZA CLINICA EM CAICÓ POR SUSPEITA DE COMPRA DE VOTOS; 11 PESSOAS FORAM CONDUZIDAS A DELEGACIA

A Justiça eleitoral realizou nesta segunda-feira(02) uma operação de fiscalização contra supostos crimes eleitorais em uma clinica médica e odontológica localizada na rua Tonheca Dantas nas proximidades da Central do Cidadão no bairro Penedo em Caicó.  Os funcionários da justiça eleitoral receberam denuncias de que a clinica estaria funcionando no domingo a noite e poderia está acontecendo favorecimento politico, mais como não conseguiram fazer a fiscalização naquele momento realizaram na manhã de segunda-feira, feriado de finados.  Ao chegar no local foi constatado a clinica em funcionamento com movimentação de pacientes e ao entrar pediram explicações e foram informados que aproveitaram o feriado para fazer moldagem para posteriormente ser realizado o orçamento do trabalho.  Os servidores da justiça solicitaram apoio da Policia Militar e conduziram até a delegacia para averiguação e prestar depoimentos três pessoas que trabalham na clinica e 8 pacientes que estavam presentes no local

SEXO, DROGAS E MUITO AMOR. VÍDEO DE SOGRA DE PREFEITO DE CAMPINA GRANDE PROVOCA "FRISSON" NA PARAÍBA

Um vídeo onde a sogra do prefeito de Campina Grande, Soraya Brito, aparece em um motel cheirando cocaína explodiu como uma bomba na Paraíba essa manhã. Soraya Brito é a mãe de Juliana Cunha Lima, casada com o prefeito Bruno Cunha Lima (Solidariedade). Bruno Cunha Lima é sobrinho do ex-governador Cássio Cunha Lima, que foi um dos líderes nacionais do PSDB. O ex-senador vai lançar seu filho, o deputado Pedro Cunha Lima (PSDB), como candidato ao governo do Estado. A gravação está sendo muito comentada nas redes sociais, e a hashtag #fofocadecampina é uma das mais citadas na região. Ninguém sabe a autoria do vídeo.

CERVEJA EM FALTA...

Às vésperas das festas de fim de ano, o nível de ruptura da cerveja – índice que monitora a falta de produtos em supermercados brasileiros –, segue em alta. Em novembro, atingiu 19,45%, frente aos 10% registrados no mesmo mês de 2019.  O índice começou a subir em março, no início da quarentena. Nos últimos meses foram registrados 17,64% de ruptura, em setembro, e 18,92% em outubro.  O monitoramento acompanha os dados de 40 mil varejistas no Brasil e é feito pela Neogrid, especializada na sincronização da cadeia de suprimentos.  A falta de cervejas nas prateleiras se deve, principalmente, às dificuldades que as empresas enfrentam para comprar embalagens, como vidro para as garrafas e latas. Apesar do alto índice de ruptura, não há, por ora, risco de desabastecimento do produto.