Pular para o conteúdo principal

COM DIVERGÊNCIAS COM CANDIDATOS AO GOVERNO ÁLVARO DIAS PODE TER POSTURA DE NEUTRALIDADE NA ELEIÇÃO PARA O GOVERNO DO RN


Em entrevista concedida ao Jornal do Dia exibido pela TV Ponta Negra nesta quinta-feira (04) , o prefeito de Natal Álvaro Dias (PSDB), falou entre outros assuntos, sobre quem irá apoiar para governo nas eleições deste ano. Ele disse ainda que ainda não definiu um nome e que precisa refletir.

”Ainda não parei para refletir, eu não estou conseguindo parar para pensar e as prioridades são a minha gestão. Realmente eu preciso amadurecer e posso tomar uma postura de neutralidade”, disse.

O prefeito falou os principais motivos que levaram as divergências com a governadora Fatima Bezerra.

“Tive divergência com governadora Fátima Bezerra, por motivos óbvios, ela estava querendo seguir o caminho errado. Ela não instalou uma Hospital de Campanha, nós instalamos. ela combateu a ivermectina, eu acredito e acreditei no medicamento. Divergimos por ela tomou o caminho errado”

Álvaro disse ainda que, por ter divergência com os três candidatos poderá adotar uma postura de neutralidade e não apoiar ninguém.

”Tenho divergência com os candidatos, poderei por exemplo tomar uma postura de neutralidade”

O prefeito falou ainda sobre conjuntura do palanque que juntou petistas e pedetista no RN.

“Um palanque confuso, Carlos Eduardo tem Ciro como presidente, a governadora Fátima tem Lula, no palanque dela no partido dela. não sei como eles vão fazer para compatibilizar essas diferenças, divergências ideológicas em torno de candidatos par caminharem junto”

Blog do FM

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

JUSTIÇA ELEITORAL FISCALIZA CLINICA EM CAICÓ POR SUSPEITA DE COMPRA DE VOTOS; 11 PESSOAS FORAM CONDUZIDAS A DELEGACIA

A Justiça eleitoral realizou nesta segunda-feira(02) uma operação de fiscalização contra supostos crimes eleitorais em uma clinica médica e odontológica localizada na rua Tonheca Dantas nas proximidades da Central do Cidadão no bairro Penedo em Caicó.  Os funcionários da justiça eleitoral receberam denuncias de que a clinica estaria funcionando no domingo a noite e poderia está acontecendo favorecimento politico, mais como não conseguiram fazer a fiscalização naquele momento realizaram na manhã de segunda-feira, feriado de finados.  Ao chegar no local foi constatado a clinica em funcionamento com movimentação de pacientes e ao entrar pediram explicações e foram informados que aproveitaram o feriado para fazer moldagem para posteriormente ser realizado o orçamento do trabalho.  Os servidores da justiça solicitaram apoio da Policia Militar e conduziram até a delegacia para averiguação e prestar depoimentos três pessoas que trabalham na clinica e 8 pacientes que estavam presentes no local

SEXO, DROGAS E MUITO AMOR. VÍDEO DE SOGRA DE PREFEITO DE CAMPINA GRANDE PROVOCA "FRISSON" NA PARAÍBA

Um vídeo onde a sogra do prefeito de Campina Grande, Soraya Brito, aparece em um motel cheirando cocaína explodiu como uma bomba na Paraíba essa manhã. Soraya Brito é a mãe de Juliana Cunha Lima, casada com o prefeito Bruno Cunha Lima (Solidariedade). Bruno Cunha Lima é sobrinho do ex-governador Cássio Cunha Lima, que foi um dos líderes nacionais do PSDB. O ex-senador vai lançar seu filho, o deputado Pedro Cunha Lima (PSDB), como candidato ao governo do Estado. A gravação está sendo muito comentada nas redes sociais, e a hashtag #fofocadecampina é uma das mais citadas na região. Ninguém sabe a autoria do vídeo.

CERVEJA EM FALTA...

Às vésperas das festas de fim de ano, o nível de ruptura da cerveja – índice que monitora a falta de produtos em supermercados brasileiros –, segue em alta. Em novembro, atingiu 19,45%, frente aos 10% registrados no mesmo mês de 2019.  O índice começou a subir em março, no início da quarentena. Nos últimos meses foram registrados 17,64% de ruptura, em setembro, e 18,92% em outubro.  O monitoramento acompanha os dados de 40 mil varejistas no Brasil e é feito pela Neogrid, especializada na sincronização da cadeia de suprimentos.  A falta de cervejas nas prateleiras se deve, principalmente, às dificuldades que as empresas enfrentam para comprar embalagens, como vidro para as garrafas e latas. Apesar do alto índice de ruptura, não há, por ora, risco de desabastecimento do produto.