Pular para o conteúdo principal

NÚMERO DE ARMAS NAS MÃOS DE CIDADÃOS CRESCE 68% NO RN EM TRÊS ANOS

 

Foto: Stockphotos

As armas nas mãos de cidadãos comuns  cresceram 68% no Rio Grande do Norte num intervalo de três anos. Em 2019, eram 6.367 armas. Em 2021, o número saltou para 10.698 registros, número praticamente idêntico ao total de armas registradas na  Polícia Militar do RN, com 10.802 armas registradas.  

A proporção dos registros para cidadãos em relação ao total de armas tabuladas no Estado também aumentou neste período, saltando de 46% para 55%. Em 2021, o RN possuía 19.282 armas registradas com cidadãos comuns, caçadores, servidores públicos com prerrogativa de função, segurança privada e outros (sem incluir as força de segurança).  Em 2019, eram 13.798. Os números constam no Anuário Brasileiro da Segurança Pública.

A variação no número de armas registradas no RN cresceu 19,3% em relação a 2020 e 39% em relação a 2019. As pistolas e revolveres são os líderes nos registros em 2021 no Estado, com 11.106 e 5.444, respectivamente. De acordo com os dados, as empresas de segurança privada, servidores públicos com porte por prerrogativa de função e órgãos públicos sem taxa são as categorias com mais registros de armas no Rio Grande do Norte.

Até abril de 2019, não existia, no Sistema Nacional de Armas (Sinarm), uma categorização dos registros de armas de fogo. A categoria Pessoa Física se desdobrou em Cidadão, Caçador de subsistência e Servidor público (por prerrogativa de função). A categoria Segurança Privada foi desdobrada em Empresa de Segurança Privada e Empresa com Segurança Orgânica.

“O resultado de três anos de incentivo à compra de armas é um país muito mais armado e com grupos de pressão pró armas organizados e com portas abertas para transitar com absoluta fluidez em altas instâncias do Governo Federal e do Congresso Nacional. A quantidade de armas de fogo nas mãos de civis e CACs (caçadores, atiradores desportivos e colecionadores) ultrapassou, em muito, a quantidade de armas dos órgãos públicos”, aponta trecho do Anuário assinado por Isabel Figueiredo, Ivan Marques e David Marques, pesquisadores em segurança pública.

Tribuna do Norte

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

JUSTIÇA ELEITORAL FISCALIZA CLINICA EM CAICÓ POR SUSPEITA DE COMPRA DE VOTOS; 11 PESSOAS FORAM CONDUZIDAS A DELEGACIA

A Justiça eleitoral realizou nesta segunda-feira(02) uma operação de fiscalização contra supostos crimes eleitorais em uma clinica médica e odontológica localizada na rua Tonheca Dantas nas proximidades da Central do Cidadão no bairro Penedo em Caicó.  Os funcionários da justiça eleitoral receberam denuncias de que a clinica estaria funcionando no domingo a noite e poderia está acontecendo favorecimento politico, mais como não conseguiram fazer a fiscalização naquele momento realizaram na manhã de segunda-feira, feriado de finados.  Ao chegar no local foi constatado a clinica em funcionamento com movimentação de pacientes e ao entrar pediram explicações e foram informados que aproveitaram o feriado para fazer moldagem para posteriormente ser realizado o orçamento do trabalho.  Os servidores da justiça solicitaram apoio da Policia Militar e conduziram até a delegacia para averiguação e prestar depoimentos três pessoas que trabalham na clinica e 8 pacientes que estavam presentes no local

SEXO, DROGAS E MUITO AMOR. VÍDEO DE SOGRA DE PREFEITO DE CAMPINA GRANDE PROVOCA "FRISSON" NA PARAÍBA

Um vídeo onde a sogra do prefeito de Campina Grande, Soraya Brito, aparece em um motel cheirando cocaína explodiu como uma bomba na Paraíba essa manhã. Soraya Brito é a mãe de Juliana Cunha Lima, casada com o prefeito Bruno Cunha Lima (Solidariedade). Bruno Cunha Lima é sobrinho do ex-governador Cássio Cunha Lima, que foi um dos líderes nacionais do PSDB. O ex-senador vai lançar seu filho, o deputado Pedro Cunha Lima (PSDB), como candidato ao governo do Estado. A gravação está sendo muito comentada nas redes sociais, e a hashtag #fofocadecampina é uma das mais citadas na região. Ninguém sabe a autoria do vídeo.

CERVEJA EM FALTA...

Às vésperas das festas de fim de ano, o nível de ruptura da cerveja – índice que monitora a falta de produtos em supermercados brasileiros –, segue em alta. Em novembro, atingiu 19,45%, frente aos 10% registrados no mesmo mês de 2019.  O índice começou a subir em março, no início da quarentena. Nos últimos meses foram registrados 17,64% de ruptura, em setembro, e 18,92% em outubro.  O monitoramento acompanha os dados de 40 mil varejistas no Brasil e é feito pela Neogrid, especializada na sincronização da cadeia de suprimentos.  A falta de cervejas nas prateleiras se deve, principalmente, às dificuldades que as empresas enfrentam para comprar embalagens, como vidro para as garrafas e latas. Apesar do alto índice de ruptura, não há, por ora, risco de desabastecimento do produto.