Pular para o conteúdo principal

COVID LONGA: NOVO ESTUDO SUGERE QUE 'NÉVOA MENTAL' É CAUSADA POR DANOS NOS VASOS SANGUÍNEOS DO CÉREBRO

 

Foto: Freepik

Uma das queixas mais comuns na persistência dos sintomas após a Covid-19, chamada de Covid longa, é em relação aos sintomas neurológicos, como dificuldades na concentração e a “névoa mental”. Agora, um novo estudo conduzido por cientistas dos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos (NIH) descobriram que a própria resposta imune desencadeada pela contaminação com o Sars-CoV-2, vírus causador da doença, pode provocar danos e inflamações nos vasos sanguíneos do cérebro e estar por trás do problemas de longa duração na região.

O estudo, publicado na revista científica Brain, analisou autópsias cerebrais de nove pessoas que morreram após contrair o vírus. Em vez de detectar evidências do patógeno no órgão, a equipe descobriu que eram os próprios anticorpos das pessoas que atacavam as células que revestem os vasos sanguíneos do cérebro.

Essa descoberta pode ser a explicação sobre por que algumas pessoas sofrem efeitos prolongados da infecção – como dor de cabeça, fadiga, perda de paladar e olfato, dificuldades para dormir e a “névoa mental”. Além disso, pode ajudar no desenvolvimento de novos tratamentos para Covid longa, defendem os cientistas.

“Já havíamos mostrado danos nos vasos sanguíneos e inflamação nos cérebros dos pacientes na autópsia, mas não entendíamos a causa do dano. Acredito que neste artigo ganhamos perspectivas importantes sobre essa cascata de eventos”, explica o autor sênior do artigo, Avindra Nath.

Os nove indivíduos avaliados, com idades entre 24 e 73 anos, foram selecionados num estudo anterior da equipe que já havia mostrado evidências de prejuízos nos vasos sanguíneos cerebrais por meio dos exames. Seus cérebros foram, então, comparados aos de 10 participantes saudáveis de um grupo de controle. A equipe examinou a neuroinflamação e as respostas imunes usando uma técnica chamada de imuno-histoquímica.

Os cientistas perceberam que os anticorpos produzidos contra a Covid-19 pela infecção miravam erroneamente as células que formam a barreira hematoencefálica, uma estrutura destinada a manter invasores nocivos fora do cérebro, ao mesmo tempo em que permite a passagem de substâncias necessárias.

Danos a essas células podem causar vazamentos de proteínas, sangramentos e coágulos, o que eleva também o risco de acidente vascular cerebral (AVC) – outra relação já comprovada por estudos com a Covid-19. Além disso, esses vazamentos na barreira acionam células imunes chamadas de macrófagos para o local a fim de reparar as perdas, o que causa mais inflamação.

A equipe descobriu que os processos celulares normais nas áreas atacadas pelos anticorpos foram severamente interrompidos, o que teve implicações em mecanismos como a capacidade de desintoxicar e regular o metabolismo.

As descobertas ajudam a elucidar a atuação da doença em pacientes com sintomas neurológicos de longo prazo, e podem ajudar no desenvolvimento de novos tratamentos como, por exemplo, um remédio que atue no acúmulo de anticorpos na barreira hematoencefálica.

“É bem possível que essa mesma resposta imune persista em pacientes com Covid longa, resultando em lesão neuronal”, afirma Nath. Ou seja, um medicamento que reduza essa resposta imune poderia ajudar esses pacientes. “Então essas descobertas têm implicações terapêuticas muito importantes”, enfatiza o especialista.

O Globo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

JUSTIÇA ELEITORAL FISCALIZA CLINICA EM CAICÓ POR SUSPEITA DE COMPRA DE VOTOS; 11 PESSOAS FORAM CONDUZIDAS A DELEGACIA

A Justiça eleitoral realizou nesta segunda-feira(02) uma operação de fiscalização contra supostos crimes eleitorais em uma clinica médica e odontológica localizada na rua Tonheca Dantas nas proximidades da Central do Cidadão no bairro Penedo em Caicó.  Os funcionários da justiça eleitoral receberam denuncias de que a clinica estaria funcionando no domingo a noite e poderia está acontecendo favorecimento politico, mais como não conseguiram fazer a fiscalização naquele momento realizaram na manhã de segunda-feira, feriado de finados.  Ao chegar no local foi constatado a clinica em funcionamento com movimentação de pacientes e ao entrar pediram explicações e foram informados que aproveitaram o feriado para fazer moldagem para posteriormente ser realizado o orçamento do trabalho.  Os servidores da justiça solicitaram apoio da Policia Militar e conduziram até a delegacia para averiguação e prestar depoimentos três pessoas que trabalham na clinica e 8 pacientes que estavam presentes no local

SEXO, DROGAS E MUITO AMOR. VÍDEO DE SOGRA DE PREFEITO DE CAMPINA GRANDE PROVOCA "FRISSON" NA PARAÍBA

Um vídeo onde a sogra do prefeito de Campina Grande, Soraya Brito, aparece em um motel cheirando cocaína explodiu como uma bomba na Paraíba essa manhã. Soraya Brito é a mãe de Juliana Cunha Lima, casada com o prefeito Bruno Cunha Lima (Solidariedade). Bruno Cunha Lima é sobrinho do ex-governador Cássio Cunha Lima, que foi um dos líderes nacionais do PSDB. O ex-senador vai lançar seu filho, o deputado Pedro Cunha Lima (PSDB), como candidato ao governo do Estado. A gravação está sendo muito comentada nas redes sociais, e a hashtag #fofocadecampina é uma das mais citadas na região. Ninguém sabe a autoria do vídeo.

CERVEJA EM FALTA...

Às vésperas das festas de fim de ano, o nível de ruptura da cerveja – índice que monitora a falta de produtos em supermercados brasileiros –, segue em alta. Em novembro, atingiu 19,45%, frente aos 10% registrados no mesmo mês de 2019.  O índice começou a subir em março, no início da quarentena. Nos últimos meses foram registrados 17,64% de ruptura, em setembro, e 18,92% em outubro.  O monitoramento acompanha os dados de 40 mil varejistas no Brasil e é feito pela Neogrid, especializada na sincronização da cadeia de suprimentos.  A falta de cervejas nas prateleiras se deve, principalmente, às dificuldades que as empresas enfrentam para comprar embalagens, como vidro para as garrafas e latas. Apesar do alto índice de ruptura, não há, por ora, risco de desabastecimento do produto.