Pular para o conteúdo principal

ROBINSON ACUSA FÁTIMA DE TE-LO TRAÍDO E BOICOTADO PARA SER ELEITA GOVERNADORA DO RN

 


E

“Fátima fica criticando, mas passou dois anos usufruindo do meu governo, com mandato e prestígio de senadora da República, amiga particular de Dilma Rousseff. Ela não arrumou dinheiro, não veio um tostão sequer para o custeio do Rio Grande do Norte”, afirmou o ex-governador Robinson Faria (PL), reprovando a postura adotada pela governadora Fátima Bezerra (PT), ao dizer que assumiu o Estado em uma grave crise fiscal, com folhas de servidores e pagamento dos fornecedores em atraso.

Ele disse que a gestora esquece que, em 2014, após ganhar as eleições e apoiar o PT no Estado, colocou pastas importantes nas mãos do partido, ao passo que a então senadora “não trouxe um tostão sequer” para cobrir as despesas do RN.

“Eu esperava, já que o PT elegeu comigo a senadora e a presidente Dilma e porque a metade do meu governo era do PT. Pedi a Fátima que me levasse até a presidente para repassar custeio para eu não atrasar a folha. E Fátima não arrumou dinheiro. Eu cansei de pedir e mendigar em Brasília, me humilhar pedindo esse custeio. Mandavam dinheiro para Alagoas, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, estados ricos, mas não enviaram ao Rio Grande do Norte. Porque? Porque já era um boicote de Fátima, pensando em ser governadora quatro anos depois, para me enfraquecer, já era um projeto sórdido”, disse.

Robinson afirmou que no início do governo Michel Temer, Fábio Faria conseguiu aprovar R$ 1 bilhão no TCU para custeio do Estado. No entanto, o valor jamais caiu na conta bancária do Estado, pois, além de não estar aprovado e assegurado, políticos potiguares teriam chantageado o então presidente para não conceder o benefício ao governo estadual.

“No dia seguinte, os caciques que derrotei – senadores e deputados federais – chantagearam Temer e disseram que não poderia liberar o dinheiro para o RN porque, se eu colocasse a folha em dia, seria reeleito. E tinha o candidato deles – Carlos Eduardo Alves -, da família deles contra mim, então Temer, ameaçado e em um momento frágil, amarelou e mandou dar um parecer e o dinheiro não chegou ao Rio Grande do Norte”, afirmou Robinson.

E reafirmou ter sido boicotado ao longo dos seus quatro anos de governo. “Se coloque no lugar de Robinson, boicotado, primeiro pelo governo do PT e de Temer, não arranjei dinheiro para custeio. Agora quero fazer uma pergunta ao povo do RN, aos que criticam e os que não criticam: sobrou o que a Robinson? Ou tentar esperar uma melhora da economia ou (acontecer) um milagre de chegar uma pessoa para ajudar em Brasília o Estado no custeio”, ressaltou.

FOLHAS EM ATRASO

Robinson Faria disse que acha bom quando o questionam sobre a questão das folhas de pagamento dos servidores em atraso, pois pode explicar a sua versão. Nesta, o ex-governador se disse alvo de uma “vingança” de políticos de famílias tradicionais no Estado e que, ao assumir, recebeu o Estado já pagando a folha salarial com recursos do Fundo da Previdência.

“Quem foi que Robinson Faria derrotou em 2014? O acordão, Henrique Alves e José Agripino, donos de tvs. Derrotei as famílias que mandavam no RN há 60 anos, com a mídia toda com eles. Quando me elegi governador, a vingança deles foi jogar a mídia contra mim. Passaram quatro anos atacando e só falavam a versão deles. Eu não podia falar a minha versão, porque eu não tinha rádio, jornal, mídia e tv. E o que aconteceu? Quando assumi o Estado, ele já estava quebrado. Errei em não ter dito isso ao povo do Estado e a conta do passado caiu no meu colo”, lamentou.

O ex-governador ressaltou que governou o Estado em um período econômico de recessão e que recebeu o Rio Grande do Norte “literalmente falido”. “Eu poderia ter anunciado isso quando subi a rampa para tomar posse, mas pensei: ‘não, vamos olhar para frente’. Fui muito otimista ou fui ingênuo, deveria ter contado ao povo do RN que (as condições) eu estava recebendo o Estado para governar, mas (à época) eu achei melhor olhar para frente e buscar soluções e não olhar para o retrovisor, mas acho que cometi erro, porque eu tinha que mostrar a realidade do Estado, a massa falida que estavam me entregando para governar”, lamentou.

“Gestão de Fátima é incompetente e midiática”, dispara

Segundo o ex-governador e pai do ministro das Comunicações do governo Jair Bolsonaro (PL) Fábio Faria, a gestão da governadora Fátima Bezerra não tem obras para apresentar a população e “é incompetente e midiático. Durante a pandemia, se escondeu do povo e vive mandando a polícia apreender motos. Quer encobrir o que ela não fez. Eu pergunto: ‘Qual foi a obra da governadora?”, questionou, em entrevista à Rádio Liberdade FM.

E continuou sua crítica. “A atual governadora do Estado, que não tem obras em canto algum, ela teve mais do que Robinson Faria em três anos e, isso está no Porta da Transparência para quem quiser checar, R$ 12 bilhões. Vocês sabem o que é R$ 12 bilhões? Você pergunta: ‘Vamos para Natal. Eu queria que ela apontasse, em uma entrevista de rádio, televisão ou em uma mídia qualquer, elenque dez obras dela em Natal, apesar de ter recebido R$ 12 bilhões a mais do que Robinson Faria. Ou então, vamos para Mossoró, capital do Oeste, ela que diga dez obras que tenha feito”, disparou.

Agora RN

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

JUSTIÇA ELEITORAL FISCALIZA CLINICA EM CAICÓ POR SUSPEITA DE COMPRA DE VOTOS; 11 PESSOAS FORAM CONDUZIDAS A DELEGACIA

A Justiça eleitoral realizou nesta segunda-feira(02) uma operação de fiscalização contra supostos crimes eleitorais em uma clinica médica e odontológica localizada na rua Tonheca Dantas nas proximidades da Central do Cidadão no bairro Penedo em Caicó.  Os funcionários da justiça eleitoral receberam denuncias de que a clinica estaria funcionando no domingo a noite e poderia está acontecendo favorecimento politico, mais como não conseguiram fazer a fiscalização naquele momento realizaram na manhã de segunda-feira, feriado de finados.  Ao chegar no local foi constatado a clinica em funcionamento com movimentação de pacientes e ao entrar pediram explicações e foram informados que aproveitaram o feriado para fazer moldagem para posteriormente ser realizado o orçamento do trabalho.  Os servidores da justiça solicitaram apoio da Policia Militar e conduziram até a delegacia para averiguação e prestar depoimentos três pessoas que trabalham na clinica e 8 pacientes que estavam presentes no local

SEXO, DROGAS E MUITO AMOR. VÍDEO DE SOGRA DE PREFEITO DE CAMPINA GRANDE PROVOCA "FRISSON" NA PARAÍBA

Um vídeo onde a sogra do prefeito de Campina Grande, Soraya Brito, aparece em um motel cheirando cocaína explodiu como uma bomba na Paraíba essa manhã. Soraya Brito é a mãe de Juliana Cunha Lima, casada com o prefeito Bruno Cunha Lima (Solidariedade). Bruno Cunha Lima é sobrinho do ex-governador Cássio Cunha Lima, que foi um dos líderes nacionais do PSDB. O ex-senador vai lançar seu filho, o deputado Pedro Cunha Lima (PSDB), como candidato ao governo do Estado. A gravação está sendo muito comentada nas redes sociais, e a hashtag #fofocadecampina é uma das mais citadas na região. Ninguém sabe a autoria do vídeo.

CERVEJA EM FALTA...

Às vésperas das festas de fim de ano, o nível de ruptura da cerveja – índice que monitora a falta de produtos em supermercados brasileiros –, segue em alta. Em novembro, atingiu 19,45%, frente aos 10% registrados no mesmo mês de 2019.  O índice começou a subir em março, no início da quarentena. Nos últimos meses foram registrados 17,64% de ruptura, em setembro, e 18,92% em outubro.  O monitoramento acompanha os dados de 40 mil varejistas no Brasil e é feito pela Neogrid, especializada na sincronização da cadeia de suprimentos.  A falta de cervejas nas prateleiras se deve, principalmente, às dificuldades que as empresas enfrentam para comprar embalagens, como vidro para as garrafas e latas. Apesar do alto índice de ruptura, não há, por ora, risco de desabastecimento do produto.