Pular para o conteúdo principal

NATAL: PREFEITURA DÁ ORDEM DE SERVIÇO PARA CONSTRUÇÃO DO RESIDENCIAL MÃE LUÍZA

 


As famílias do bairro de Mãe Luíza que perderam suas casas em virtude do desastre ocorrido na rua Guanabara, em 2014, quando várias casas desabaram com a força das chuvas que atingiram Natal naquele período, estão próximas de poder ter novamente uma moradia própria. O prefeito Álvaro Dias assinou nesta quarta-feira (27) a ordem de serviço para o início das obras do Residencial Mãe Luíza, que será erguido no final da rua João XXIII, no próprio bairro. Ao todo, serão 29 unidades habitacionais de interesse social, beneficiando todos os afetados pela tragédia. A gestão municipal vai investir R$ 4,5 milhões em recursos próprios. O cronograma prevê a execução da obra em 12 meses.

“Essa era uma grande prioridade da nossa gestão. O nosso planejamento foi afetado pela pandemia, e também enfrentamos as dificuldades financeiras para viabilizar o projeto. Felizmente, com muito esforço e zelo pelos recursos públicos, estamos garantindo com dinheiro do próprio Tesouro Municipal a execução dessa obra que tem uma importância social enorme”, relatou o prefeito Álvaro Dias, durante a solenidade em que deu a ordem de serviço.

As unidades habitacionais terão 49,89m² e contarão com dois quartos, sala, banheiro, cozinha e acessibilidade para pessoas com deficiência. Além disso, o residencial Mãe Luíza será entregue com toda a estrutura de área comum, academia da terceira idade e diversos outros equipamentos de lazer, esporte e convivência.

“Esse é um avanço muito significativo. Estamos concretizando um sonho para todas essas famílias. Elas terão à disposição uma habitação digna, bem estruturada, com equipamentos de alta qualidade para seguirem com suas vidas. Infelizmente, a pandemia impossibilitou que a gestão municipal implementasse essa medida há mais tempo, mas agora vamos agilizar todos os procedimentos para que logo, logo os moradores recebam as chaves dos seus imóveis”, disse a secretária municipal de Habitação, Regularização Fundiária e Projetos Estruturantes, Shirley Cavalcanti.

Alguns dos futuros beneficiados com a obra estiveram presentes na Prefeitura. Marcos Barbosa Correia, representante dos moradores, agradeceu à Prefeitura por tirar o projeto do papel. “Quero agradecer em nome de todos. Ficamos numa situação muito difícil naquele período e agora todos passamos a ter esperança de viver melhor com nossas famílias”, disse ele.

Déficit habitacional

Pesquisa recente apontou o déficit habitacional como um dos graves problemas urbanos do Brasil. Diante disso, por determinação do prefeito Álvaro Dias, Natal passou a investir forte em programas de habitação popular. Somente no Complexo Habitacional Village de Prata, no Planalto, Zona Oeste da capital potiguar foram construídos oito blocos de apartamentos, com 1.792 unidades, numa parceria com o Governo Federal, investindo cerca de R$ 110 milhões.

A obra permitiu morada digna aos cidadãos de assentamentos como Camboim (Bom Pastor), antigos moradores das favelas do Fio e Alemão, ocupantes da área de risco da Chesf (Bom Pastor), Assentamento 8 de março (Planalto) e famílias que ocupavam o terreno da Estação de Tratamento de Esgotos (ETE), no Guarapes. Ainda foram beneficiadas pessoas do Maruim, Jacó e área na ZPA-4 (Guarapes).

A Prefeitura também regularizou uma série de propriedades na cidade. De 2018 até este ano, foram entregues cerca de 5.000 títulos de propriedades de imóveis a população de bairros como Passo da Pátria, Nossa Senhora da Apresentação, Conjunto Pirangi, Comunidade da África, Guarapes, Planalto, Leningrado, Comunidade Aliança e Alto da Torre.

Em breve, numa parceria com o Ministério do Desenvolvimento Regional, serão realizadas melhorias habitacionais para 2.763 imóveis, nos bairros de Felipe Camarão, Nossa Senhora da Apresentação e Pajuçara, além de permitir a regularização fundiária nesses locais, através do Programa Casa Verde e Amarela.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

JUSTIÇA ELEITORAL FISCALIZA CLINICA EM CAICÓ POR SUSPEITA DE COMPRA DE VOTOS; 11 PESSOAS FORAM CONDUZIDAS A DELEGACIA

A Justiça eleitoral realizou nesta segunda-feira(02) uma operação de fiscalização contra supostos crimes eleitorais em uma clinica médica e odontológica localizada na rua Tonheca Dantas nas proximidades da Central do Cidadão no bairro Penedo em Caicó.  Os funcionários da justiça eleitoral receberam denuncias de que a clinica estaria funcionando no domingo a noite e poderia está acontecendo favorecimento politico, mais como não conseguiram fazer a fiscalização naquele momento realizaram na manhã de segunda-feira, feriado de finados.  Ao chegar no local foi constatado a clinica em funcionamento com movimentação de pacientes e ao entrar pediram explicações e foram informados que aproveitaram o feriado para fazer moldagem para posteriormente ser realizado o orçamento do trabalho.  Os servidores da justiça solicitaram apoio da Policia Militar e conduziram até a delegacia para averiguação e prestar depoimentos três pessoas que trabalham na clinica e 8 pacientes que estavam presentes no local

SEXO, DROGAS E MUITO AMOR. VÍDEO DE SOGRA DE PREFEITO DE CAMPINA GRANDE PROVOCA "FRISSON" NA PARAÍBA

Um vídeo onde a sogra do prefeito de Campina Grande, Soraya Brito, aparece em um motel cheirando cocaína explodiu como uma bomba na Paraíba essa manhã. Soraya Brito é a mãe de Juliana Cunha Lima, casada com o prefeito Bruno Cunha Lima (Solidariedade). Bruno Cunha Lima é sobrinho do ex-governador Cássio Cunha Lima, que foi um dos líderes nacionais do PSDB. O ex-senador vai lançar seu filho, o deputado Pedro Cunha Lima (PSDB), como candidato ao governo do Estado. A gravação está sendo muito comentada nas redes sociais, e a hashtag #fofocadecampina é uma das mais citadas na região. Ninguém sabe a autoria do vídeo.

CERVEJA EM FALTA...

Às vésperas das festas de fim de ano, o nível de ruptura da cerveja – índice que monitora a falta de produtos em supermercados brasileiros –, segue em alta. Em novembro, atingiu 19,45%, frente aos 10% registrados no mesmo mês de 2019.  O índice começou a subir em março, no início da quarentena. Nos últimos meses foram registrados 17,64% de ruptura, em setembro, e 18,92% em outubro.  O monitoramento acompanha os dados de 40 mil varejistas no Brasil e é feito pela Neogrid, especializada na sincronização da cadeia de suprimentos.  A falta de cervejas nas prateleiras se deve, principalmente, às dificuldades que as empresas enfrentam para comprar embalagens, como vidro para as garrafas e latas. Apesar do alto índice de ruptura, não há, por ora, risco de desabastecimento do produto.